Namoro

postado em: MEUS ESCRITOS | 0

A relação afetiva mantida entre duas pessoas com o compromisso de partilharem novas experiências e conhecimento do outro, podemos chamar de namoro. Namoro é lugar para desenvolver e aperfeiçoar o amor.

O casal se une no encontro, e esse encontro não é apenas físico, mas também de alma, de espírito. Infelizmente, não é o que vemos na maioria dos relacionamentos. A vontade de responder egoisticamente aos apelos da carne, do corpo, e um desejo exacerbado de posse, tomou o lugar da beleza do encontro, do dar-se a conhecer, da troca.

Nessa perspectiva de amor, encontramos um namoro que vale a pena rever!  Cânticos de Salomão, um poema lírico em forma de diálogo, repleto de sentimentos e emoções. Ano (965 a.C.) O tempo passou e o amor de Salomão e a Sulamita continua vivo.

(Ct 1,2)

O namoro começa:

Ele – “Como você é linda! Seus olhos são como os das pombas.” (Ct.1.15)

Salomão conseguia ver através dos olhos da amada a sua alma, sua real beleza. Um olhar sereno de quem está apaixonada. Porém, havia algo mais, ela tinha um brilho diferente no olhar, uma forma peculiar de ver a vida com esperança. Ele observa em sua beleza “o bom perfume.” ( Ct.1.12 ) Que fez da Sulamita uma pessoa produtiva e alegre. Uma pessoa de caráter nobre. Não era para ele mais uma, era única. Ela sabia quem era, e ele a valorizava por isso. Ele queria prosseguir com ela, e o amor se desenvolvia e se fortalecia.

Ela- “Como uma macieira entre as árvores, é o meu amado…o seu estandarte sobre mim é o amor.” (Ct. 2. 3,4)

A Sulamita sabia que não seria fácil encontrar o amado, e quando o encontrou enalteceu cada momento. Ela sabia que ele era especial, não tinha tempo para desperdiçar o encontro a dois por razões efêmeras. Era prazeroso estar ao lado dele. Afinal, ele a enriquecia com suas falas de sabedoria e amor. Nele haviam atitudes de louvor e gratidão por cada dia. Ele não era como os outros, que só queriam usá-la como um objeto descartável; suas atitudes no namoro, demonstravam que tinha uma índole confiável. Não tinha medo de falar do seu amor para a amada. E ela se sentia segura. O amor dele por ela era visível a todos, e não tinham redes sociais. (risos)

Hoje o amor não é mais uma bandeira, um estandarte de vitória pela conquista do bem amado. Uma relação vivida a dois, prazerosa com cumplicidade e satisfação pela existência do outro. Com a modernidade passou a se viver menos o amor, e expor mais a relação.

O amor que Salomão e a Sulamita cultivaram deu certo. Ambos decidiram impedir que qualquer tipo de problema prejudicasse o relacionamento deles. Determinaram que um seria a cura para a ferida do outro quando as adversidades chegassem. Usariam o tempo de namoro para encontrar-se consigo mesmo, e a partir desse conhecimento amar honestamente ressaltando as qualidades, sem desprezar as falhas. Que juntos iriam aprender sobre o amor e maravilhar-se com as descobertas, sem deixar de observar o princípio Divino.

Agora é com você! Avalie sua vida e sua relação de amor à luz da Palavra, e que Deus abençoe!

Por: Valéria Lima.

Deixe uma resposta